Segurança Patrimonial: esclarecemos suas dúvidas

Muita gente pensa que a segurança patrimonial é utilizada somente em bancos ou grandes corporações. Este é um equívoco e aqui vamos demonstrar as diversas acepções deste serviço, que pode ser aplicado em qualquer situação.

É importante conhecer a diversidade de situações nas quais os serviços de segurança tornam tudo mais fácil. Inicialmente cabe fazermos a observação de que nenhuma segurança é impossível de ser violada.

No entanto, quem utiliza esse serviço irá usufruir a melhor técnica de proteção contra ameaças externas, que é a prevenção. Elaborar planos estratégicos e pensar em qualquer tipo de ameaça pode tornar a vida muito mais fácil.

O que compreende o serviço de segurança patrimonial?

Para começarmos a entender o que um serviço de segurança patrimonial pode oferecer, precisamos saber o que é a segurança patrimonial.

Assim, este serviço compreende múltiplas técnicas integradas que através de uma gestão estratégica podem proteger de forma eficaz em várias vertentes.

Esta proteção pode ocorrer não apenas quanto à integridade de indivíduos como também inúmeros tipos de patrimônio de uma organização, um grupo determinado de pessoas que se estabelecem em algum lugar (como um condomínio ou uma empresa, por exemplo).

As empresas deste setor precisam satisfazer os requisitos da lei 7.102/83 para que possam funcionar licitamente. São eles: autorização de funcionamento pelo Ministério da Justiça e a comunicação à Secretaria de Segurança Pública do respectivo Estado, Território ou Distrito Federal, além da devida regulamentação pela Polícia Federal.

Segurança patrimonial e vigilância

Assim como qualquer serviço, a segurança patrimonial possui legislações e outras regras e apenas pode funcionar se tiver autorização dos órgãos públicos competentes, já que o serviço compreende treinamento de profissionais com armas de fogo e armas não letais, apenas quando estiverem em serviço.

E ainda existem normas específicas reguladas por lei para prestar serviços de segurança patrimonial em estabelecimentos financeiros e transporte de valores. É o teor da lei 7.102/83.

De acordo com a referida lei, o sistema de segurança deve ser prestado por pessoas treinadas, que são chamadas de vigilantes. E aqui nos cabe fazer uma distinção entre segurança patrimonial e vigilância.

A vigilância patrimonial tem como objetivo proteger pessoas de agressões, incêndios, acidentes e outras diversas espécies de intempéries que o patrimônio ou a pessoa venham a sofrer.

Todavia, a profissão de vigilante é regulamentada pela lei 7.102/83. Possuem autorização específica da Polícia Federal e possuem porte de armas quando em serviço. Já o serviço de segurança patrimonial é menos restrito, podendo ser prestado por um vigia, porteiro, guarda ou um segurança.

A profissão de segurança patrimonial não é regulamentada por lei, logo, qualquer pessoa que corresponda aos requisitos da própria empresa pode ser segurança.

Assim, cabe ao contratante optar por empresas com reconhecimento nacional no mercado, para dispor de um serviço adequado e eficiente.

Se você achou estranho o segurança ser diferente do vigilante, entenda que para ser um vigilante é preciso satisfazer alguns critérios legais, quais sejam:

– Ser brasileiro.

– Ter idade mínima de 21 anos.

– Ter grau de instrução correspondente à quarta série do ensino fundamental.

– Ter sido aprovado em curso de formação específico para vigilantes.

– Ser aprovado em exame físico, mental e psicotécnico.

– Não possuir registros de antecedentes criminais.

– Estar quite com as obrigações militares e eleitorais.

Esferas de atuação da segurança patrimonial

Como foi dito no início, a melhor segurança é a prevenção. E é nisso que a segurança patrimonial esteia a maior parte de seus serviços.

Ao combinar técnicas de segurança patrimonial com as tecnologias mais modernas disponíveis, é possível elaborar o melhor plano para o tipo de segurança a ser prestado.

Para que seja elaborado um bom plano de segurança patrimonial, é preciso dividir a tarefa em três momentos:

  1. Prevenção: este é o foco principal do serviço. É onde deve haver todo o planejamento estratégico da segurança para evitar imprevistos indesejados.
  2. Detecção de uma possível ameaça: neste momento, o serviço já está sendo prestado e os agentes de segurança devem ficar atentos a qualquer evento fora do aguardado, como pessoas suspeitas, veículos suspeitos, e demais perigos em potencial.
  3. Repressão ou reação: também é necessário estar apto a agir caso ocorra algum evento que ponha em risco o dignitário (quando for pessoa) ou patrimônio.

Ainda, é preciso ter em mente que uma parte considerável dos serviços de segurança prestados possui interferências, que são atitudes que tentam tirar proveito da situação.

Além de atitudes inesperadas para que um terceiro obtenha vantagem, existem as perturbações, que são eventos que atrapalham ou inviabilizam o serviço de proteção.

Serviços utilizados por empresas de segurança patrimonial

Na prática, todo plano de segurança patrimonial deve ser personalizado para cada cliente. Dentre os diversos serviços, é possível que seja conveniente ao serviço a instalação de câmeras de segurança com alarmes que acionam a central de monitoramento e esta, por sua vez, pode acionar a polícia se for o caso.

Monitoramento e efetivo humano são as principais vertentes da segurança patrimonial.

Benefícios da segurança patrimonial

Para quem nunca contratou este tipo de serviço, no início pode parecer estranho e até mesmo desnecessário, contudo, os benefícios gerados podem resultar em grandes vantagens para o contratante.

Por exemplo, se o contratante for uma empresa, é muito comum que com o tempo de prestação de serviços os funcionários sintam-se mais seguros e mais motivados a executar os serviços que lhe competem por estarem tranquilos.

Além disso, o monitoramento e a presença de agentes de segurança evitam que haja furtos, apropriações indébitas e desvios de mercadorias, fazendo com que o contratante diminua significativamente as perdas e com isso tenha menos despesas.

As empresas que adotam serviços de proteção ao patrimônio também geram mais confiabilidade no mercado, fazendo com que seus clientes se sintam mais seguros sem contar que o ambiente monitorado parece até mais profissional.

A segurança patrimonial também pode fazer parte da cultura organizacional de uma empresa, já que conta com a adoção de hábitos mais seguros pelos próprios colaboradores e dirigentes.

O plano de segurança requer a colaboração de todos os envolvidos para que os resultados sejam mais garantidos. Geralmente são atitudes como cuidados ao sair tarde da empresa, cuidados com crachás e com portas que requerem senhas etc.

Assim, com recursos humanos, tecnológicos e atuação dentro da legalidade e da ética podem precaver o patrimônio de forma muito melhor e dar mais tranquilidade ao contratante.

Post anterior
8ª Edição – Ação Social Amigos da ROTA com participação do Grupo Macor
Próximo post
O que é e como funciona o monitoramento de alarmes?
Menu