Segurança em condomínio: 5 erros para ficar atento

Muitas pessoas escolhem morar em condomínio justamente pela promessa de maior segurança, mesmo que isso signifique se adequar às regras coletivas de convívio. Afinal, manter a si próprio e a família protegidos não tem preço.

No entanto, mesmo leigos conseguem identificar falhas graves que podem comprometer todo esse esquema, ou ainda pior, se passam despercebidos, os responsáveis não são capazes de elaborar estratégias de combate.

Para evitar acidentes e que crimes ocorram dentro da área, criamos um conteúdo exclusivo sobre segurança em condomínio, com 5 erros para ficar atento, sendo esses os mais comuns e evitáveis. Confira!

Falta de controle de acesso

O maior erro de segurança em qualquer condomínio é não realizar um controle de acesso de quem entra e sai da propriedade, assim como os veículos que circulam por ela. Com o passar do tempo os porteiros podem se tornar íntimos dos moradores, reconhecendo apenas o carro.

Esse é um comportamento, infelizmente, automático, e extremamente perigoso. É natural querer reduzir a burocracia para que o morador acesse a residência. No entanto, quem está dirigindo, pode não ser o indivíduo, e sim, um bandido que cometeu um assalto previamente, por exemplo.

Essa é a razão pela qual esse profissional deve estar sempre atento à quem entra, com câmeras ligadas, gravando, 24 horas por dia em todas as possíveis entradas ou saídas do condomínio.

É claro que existem limites para isso, inclusive legais. Recomenda-se que, por exemplo, para entrar na garagem, haja dois portões, assim, o tempo para agir em caso de situações adversas é maior, e se o morador possui a sua chave de acesso, não sentirá os impactos negativos de alguns segundos de espera.

Ainda, atualmente é possível que os próprios controles da garagem emitam sinais para um sistema que registra o equipamento acionado para que as portas se abram, criando mais um registro, que é denunciado em caso de adulteração.

Sistema de segurança eletrônica deficiente

O sistema de segurança eletrônica é o que centraliza todas as informações sobre a segurança do condomínio, inclusive os registros de entrada e saída apontados anteriormente.

Fora isso, é o responsável por administrar as câmeras de segurança e até mesmo os alarmes. Se ele estiver corrompido ou mal dimensionado, não servirá para impedir que crimes aconteçam ou sejam solucionados.

O mesmo acontece quando falta manutenção dessas ferramentas e equipamentos. Até mesmo um software desatualizado se torna uma fonte de ouro para bandidos que pretendem invadir o sistema para desabilitá-lo em determinado horário.

Pontos cegos nas câmeras

Os pontos cegos nas câmeras de segurança são os maiores vilões na hora de solucionar problemas. As imagens estão gravadas e armazenadas conforme as regras estipuladas pelo condomínio e pelas legislações específicas, mas e se o delito não foi registrado?

Instalar câmeras de segurança não é uma tarefa simples, muito menos para pessoas que não conhecem em profundidade a área. Apesar de ser contra intuitivo, como os furtos e roubos são comuns no país, existem boas práticas e até mesmo pontos estratégicos para a instalação.

No entanto, cada caso é único, e o conjunto de todos esses conhecimentos se chama análise de risco. É possível compreender o padrão de comportamento dos assaltantes da região, assim como as orientações técnicas para a instalação de câmeras, de modo que os pontos mais vulneráveis ficam altamente vigiados, e não há ponto cego nem mesmo nas áreas que parecem seguras.

Trata-se de um projeto que não é realizado do dia para a noite, mas que envolve estudo de uma série de variáveis para que seja efetivo. Venha conferir como nós podemos ajudá-lo com um sistema de circuito fechado de monitoramento!

Não criar regras de segurança

Nos filmes os bandidos são muito audaciosos, pulando o muro na calada da noite para invadir as casas. Porém, na vida real, eles se aproveitam de pessoas desatentas para praticar seus delitos.

É a pessoa que chega de madrugada no condomínio e entra na garagem sem fechar o portão externo, ou que fica com ele aberto por muito tempo. Ainda, é quando alguém abre as portas para o entregador de delivery e autoriza a entrada até em casa.

Compreenda que condomínios só são mais seguros quando todos respeitam as regras definidas em acordos coletivos. É possível, inclusive, criar punições para aqueles que as ignorarem.

O nosso comportamento diante das vulnerabilidades é o que faz a diferença no final das contas. É um dos papéis de uma empresa de segurança patrimonial informar quais são as boas práticas, e os síndico precisa assumir a liderança para implementá-las e vigiá-las.

Não treinar os colaboradores

Um minuto de distração é suficiente para que alguém mal intencionado invada o condomínio. O porteiro, por exemplo, precisa estar atento durante todo o seu turno, sem distrações, principalmente quando chegam entregadores ou moradores e as portas precisam se abrir.

Tudo isso faz parte de uma rotina de treinamento que, inclusive, deve tratar sobre o que deve ser feito no momento em que crises acontecem. Será que se chamar a polícia ela chega antes da empresa de segurança privada?

Como proceder? Devo intervir ou mediar a situação? Esses são pontos muito sensíveis, uma vez que uma intervenção pode resultar em uma tragédia. Portanto, tudo depende da realidade do condomínio e do grau de segurança desejado.

Se o condomínio não tem tempo de treinar a equipe, não adianta exigir que ela intervenha em situações de perigo, a não ser que uma empresa especializada esteja envolvida nessa ação.

O mais importante é que haja um padrão. Lembre-se que se um minuto é o suficiente, o colaborador precisa agir imediatamente, independente da ação que será realizada. Se houver um protocolo padronizado, será executado de maneira automática.

Grupo Macor Segurança Patrimonial

O Grupo Macor é especializado em segurança para os mais diversos públicos, desde empresas, a cargas e segurança patrimonial.

Nossa equipe é altamente especializada e treinada para agir em situações de crise, mas principalmente, prevenir que esse tipo de coisa aconteça no seu condomínio.

Consulte um especialista do Grupo Macor e tenha a segurança que seu condomínio precisa: https://www.macor.com.br/seguranca-patrimonial/

Post anterior
Escolas monitoradas por câmeras: conheça os benefícios
Próximo post
Empresas de segurança clandestinas: quais são os riscos ao contratar
Nenhum resultado encontrado.
Menu